Sejuc implementa Plano de Gestão do Desipe e Grupamento de Busca e Prevenção

Objetivo é estruturar a monitoração eletrônica e intensificar ações para proteção à mulher e na prevenção ao descumprimento

Foi implementado o Plano de Gestão Estratégica do Departamento do Sistema Prisional (Desipe), referente à estruturação da monitoração eletrônica. Assim, teve início às atividades do Núcleo de Aplicação e Prevenção de Descumprimento da Monitoração (NAP), no Fórum Gumercindo Bessa, junto às audiências de custódia e demais varas judiciais existentes no respectivo órgão judicial.

Com isso, pretende-se dar maior versatilidade e otimização aos procedimentos entre Sejuc, magistrados e demais integrantes do sistema de justiça, bem como facilitar a mobilidade dos monitorados que residem distante da capital e centros urbanos.

O NAP segue realizando audiências extrajudiciais, junto ao público de monitorados, com o propósito de imprimir uma ação preventiva e pedagógica, sobretudo acerca das violações das medidas protetivas de urgência.

A ação faz parte da meta estabelecida pela gestão do secretário Cristiano Barreto, em sincronizar às atividades das Centrais (CIAP/CEMEP) junto a presidência do Tribunal de Justiça e GMF, objetivando agir de forma cooperada para atender com eficiência a política de proteção a mulher e de redução da população carcerária, através da qualificação de acesso ao sistema Prisional.

Grupamento de Busca e Prevenção

Na manhã desta quinta-feira, 12 de agosto, a Sejuc, através do Departamento do Sistema Prisional (Deisipe), deu início à estruturação e aparelhamento do Grupamento de Busca e Prevenção (GAP).

Além de equipar, o objetivo da gestão é promover, por meio da Egesp, a capacitação para os policiais penais integrantes do referido grupamento voltada a ações externas, a exemplo de capturas em cumprimentos a Mandados de Prisão, recolhimento a Estabelecimentos Penais, fiscalização dos monitorados eletronicamente e atendimento policial a vítimas em medidas protetivas de urgência.

Uma das principais plataformas de prioridade da gestão é a intensificação de operações do GAP referentes a política de proteção à mulher no âmbito da monitoração, a fim de coibir violações que culminem na retroalimentação de práticas criminosas que repercutam em danos psicológicos, físicos e contra a vida.

Última atualização: 14 de agosto de 2021 14:08.

Pular para o conteúdo