Secretaria de Estado da Justiça, do Trabalho e de Defesa do Consumidor

Curso de Primeiro Interventor em Incidentes Críticos é realizado na Egesp

Os treinamentos contam com instruções sobre defesa pessoal, gerenciamento de crise e noção de explosivos Com o objetivo de capacitar os servidores das unidades prisionais de Sergipe para atuação em momento críticos no âmbito do sistema prisional, está sendo realizado o curso de Primeiro Interventor em Incidentes Críticos. As instruções estão sendo realizadas pelo Comando […]

9 de novembro de 2020

Os treinamentos contam com instruções sobre defesa pessoal, gerenciamento de crise e noção de explosivos

Com o objetivo de capacitar os servidores das unidades prisionais de Sergipe para atuação em momento críticos no âmbito do sistema prisional, está sendo realizado o curso de Primeiro Interventor em Incidentes Críticos. As instruções estão sendo realizadas pelo Comando de Operações Especiais (COE) e do Batalhão de Choque (BPChq), da Polícia Militar, e por monitores do sistema prisional, na Escola de Gestão Penitenciária (Egesp). O curso teve início nesta segunda-feira, 9, e segue até a próxima quinta-feira, 12.

A diretora da Egesp, Andrea Fernanda Andrade salientou que o curso possibilita a identificação do cenário de um incidente em um estabelecimento prisional. “É um curso que vai proporcionar ao servidor público uma análise do espaço no primeiro momento de intervenção em um momento de crise. Esse curso vai proporcionar que o servidor tenha um preparo melhor para o atendimento ao momento de crise, no recinto do sistema prisional”, reforçou.

O curso, que está sendo realizado no período matutino e vespertino, abrange instruções de defesa e também relacionadas à presença de artefatos explosivos, conforme detalhou a diretora da Egesp. Os treinamentos estão sendo ministrados para os servidores das unidades prisionais, assim como também para os operadores de unidade táticas da Sejuc, como o Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope) e Grupo Tático de Operações Prisionais (Gtop).

“Teremos as disciplinas de Defesa Pessoas, de Gerenciamento de Crise e Noção de Explosivos. Os servidores terão a capacidade de observar o artefato de um explosivo, no momento de uma revista no recinto prisional, por exemplo. Esse curso está abrangendo todas as unidades prisionais. Cada unidade tem seus representantes, assim como também os grupos de operações Gope e Gtop. As instruções ocorrem no auditório e no centro de lutas da Egesp”, detalhou.

O secretário da Justiça, do Trabalho e da Defesa do Consumidor, Cristiano Barreto, destacou que já há servidores capacitados para a atuação em situações de incidentes críticos no sistema prisional, mas que a Sejuc, através da Egesp, amplia as instruções com as orientações feitas no âmbito da própria Escola de Gestão Penitenciária. Cristiano Barreto também ressaltou a importância do reconhecimento dos servidores das unidades prisionais como policiais penais.

“Gestão é feita de planejamento. Estamos realizando o primeiro curso de intervenção em incidentes críticos na nossa casa, a Egesp. Vários servidores já tem esse curso feito em outros locais fora de nosso ambiente. É uma satisfação imensa propiciar esse treinamento. Todos nós somos policiais, é o dia a dia que mostra. Temos ações e atribuições de policiais e estamos exercendo essas funções de forma brilhante no sistema prisional do nosso estado”, reiterou.

Atualizado: