Unidade de Custódia Psiquiátrica participa de reunião de matriciamento com a Rede de Atenção Psicossocial do Município de Aracaju

Na manhã desta quarta-feira (23), a Secretaria de Estado da Justiça, do Trabalho e de Defesa do Consumidor (Sejuc), por meio do Departamento do Sistema Penitenciário de Sergipe (Desipe) e da Unidade de Custódia Psiquiátrica (UCP), participou de uma reunião de matriciamento com a Rede de Atenção Psicossocial do Município de Aracaju (REAPS). 

As reuniões acontecem mensalmente e são frutos de um grupo de trabalho que traz discussões em torno da pessoa com transtorno mental em conflito com a lei. O grupo é intersetorial e formado por representantes do Tribunal de Justiça, Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Ministério Público, Secretarias de Estado da Saúde e Assistência, REAPS Aracaju, Conselho Penitenciário, entre outros.

Na oportunidade, os internos foram entrevistados e, logo após, ocorreram as discussões entre a equipe da REAPS e da UCP. De acordo com a diretora da unidade, Edjane Marinho, o objetivo dessa reunião em específico foi realizar a análise de caso de cada interno, de uma lista prévia, visando a melhor forma de tratamento para cada caso, pensando no seu retorno para sociedade, sem que ocorra recrudescimento da doença.

“O objetivo foi discutir a doença, as relações familiares, o comportamento na unidade entre outros para definirmos as metas para o Projeto Terapêutico Singular (PTS) e que o indivíduo retorne à sociedade com apoio intersetoriais suficientes para não cometer novos delitos”, explica Edjane.

Para Ericka Henriques, coordenadora do grupo de trabalho Desinstitucionalização pela Rede Psicossocial de Aracaju, o matriciamento da equipe da UCP surge como proposta de intervenção técnico-pedagógica de produzir saúde, através de um processo de construção compartilhada já que objetiva ampliar possibilidades de realizar clínica ampliada e integração dialógica entre distintas especialidades e profissões.

“Trata-se de um suporte técnico especializado, no caso, em saúde mental, que é ofertado a uma equipe interdisciplinar, a fim de ampliar seu campo de atuação e qualificar suas ações em saúde”, finaliza Erika. 

Sobre o GT

O grupo de trabalho Desinstitucionalização da Rede de Atenção Psicossocial de Aracaju tem como objetivo a criação de propostas e fluxos voltados para as seguintes questões centrais: 1) Qualificação da porta de entrada para Reaps; 2) Avaliação do perfil do institucionalizado; 3) Auxílio na vinculação com o território; 4) Matriciamento das equipes das instituições de origem; 5) Matriciamento das equipes da Atenção Básica; 6) Articular com o judiciário quando necessário; 7) Estabelecimento dentro dos serviços referências profissionais para fomentar discussão sobre o processo de desinstitucionalização; 8) Mapeamento de instituições de internação e de dispositivos articuladores.

Última atualização: 23 de março de 2022 13:07.

Pular para o conteúdo