Sobe para quatro o número de postos interditados por adulteração de combustíveis em ação com o Procon Sergipe

[kc_row use_container=”yes” force=”no” column_align=”middle” video_mute=”no” _id=”74430″][kc_column width=”12/12″ video_mute=”no” _id=”256220″][kc_column_text]

Fiscalização contou com a participação do Ministério Público, Polícia Civil, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e auditores da Secretaria da Fazenda

Durante a tarde desta quarta, 14, uma ação conjunta do Procon Sergipe, Ministério Público de Sergipe, Polícia Civil, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e auditores da Secretaria da Fazenda, interditou quatro postos de uma mesma rede de combustíveis localizados na avenida Tancredo Neves, avenida Augusto Franco (antiga avenida Rio de Janeiro), no centro de Aracaju e no conjunto Eduardo Gomes, em São Cristóvão. Amostras dos combustíveis foram coletadas durante fiscalização realizada na manhã de terça, 13, e os resultados de laboratório indicaram a presença de metanol, substância altamente tóxica, em níveis muito elevados.

“Coletamos amostras de gasolina comum e aditivada e levamos a um laboratório autorizado da ANP. Foi confirmada a presença de metanol, produto proibido na comercialização de combustíveis. Esse produto causa muito perigo, principalmente, para os frentistas que aqui trabalham. Pode causar cegueira, entre outros problemas de saúde com uma pequena ingestão apenas.”, disse o representante da ANP, Augusto Reis.

Durante a interdição, uma consumidora lesada pelo combustível adulterado estava em um dos postos. A nutricionista, Rebeca Lima, disse que teve o carro danificado depois do abastecimento. “Logo depois que enchi o tanque o carro começou a falhar, depois um consumo excessivo de combustível e parou. Estou aqui para tentar resolver meu prejuízo com a gerência”, destacou a consumidora.

Durante a interdição, o Procon Sergipe deu apoio aos outros órgãos de defesa do consumidor e emitiu o auto de infração. A diretora do Procon Sergipe, Raquel Martins, destacou o a ação integrada nas fiscalizações. “O consumidor, neste caso, está adquirindo um combustível que não está com a qualidade correta, o que pode trazer prejuízo. Nós vamos emitir o auto de infração para garantir que esse combustível não entre mais em circulação”, declarou.

A preocupação com a qualidade dos combustíveis deflagrou a fiscalização em postos de Aracaju. “O Ministério Público, junto com os órgãos de defesa do consumidor, está atuando para garantir a qualidade dos combustíveis. Assim que soubemos da irregularidade e, para livrar o consumidor de prejuízos e incidentes, tomamos a decisão de fazer a interdição”, enfatizou a promotora Euza Missano. Também participou da interdição dos postos de combustíveis, delegado da delegacia de Direito do Consumidor, André Baronto.

No início da tarde desta quarta, 14, uma ação conjunta do Procon Sergipe, Ministério Público, Polícia Civil, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e auditores da Secretaria da Fazenda, interditou um posto de combustíveis localizado na avenida Tancredo Neves. Amostras dos combustíveis foram coletadas durante fiscalização realizada na manhã desta terça, 13, e os resultados de laboratório indicaram a presença de metanol, substância altamente tóxica, em níveis muito elevados.

[/kc_column_text][kc_image_gallery columns=”4″ image_size=”full” alt_text=”__empty__” _id=”706973″ images=”8148,8147,8146,8149″ type=”grid” click_action=”none”][/kc_column][/kc_row]

Última atualização: 15 de junho de 2023 08:11.

Pular para o conteúdo