Sejuc discute ampliação de programas de ressocialização no Presídio Semiaberto de Areia Branca

[kc_row use_container=”yes” force=”no” column_align=”middle” video_mute=”no” _id=”570574″][kc_column width=”12/12″ video_mute=”no” _id=”152307″][kc_column_text]

Equipe técnica avaliou estrutura da unidade de Areia Branca para a implantação de novos projetos

Uma equipe de técnicos da Secretaria de Justiça e Defesa de Consumidor (Sejuc) esteve no Presídio Semiaberto de Areia Branca (Presab), nesta quinta, 6, para avaliar a estrutura da unidade. O objetivo é estudar a ampliação dos projetos de ressocialização oferecidos aos internos.

Acompanhada do diretor do Presab, o policial penal D’Klin Cardoso, e policiais penais, a secretária da pasta, Viviane Pessoa, visitou todo o complexo e avaliou, principalmente, os espaços onde hoje já são desenvolvidos vários projetos de ressocialização como o de reciclagem, remição pela leitura, produção de chuveiros, profissionalizante de eletricista predial e os da área de educação, como Educação de Jovens e Adultos (EJA) e preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Após a visita, a secretária comentou que os espaços ainda devem ser mais otimizados para trazer outros projetos profissionalizantes e de artesanato que contribuirão para a ressocialização dos internos que já cumprem suas penas no regime semiaberto. “Verificamos que há bons espaços em que podemos utilizar em novos programas. Ressocializar os internos é a nossa missão dentro do sistema prisional. Trabalhamos muito para que haja projetos que realmente possam fazer a diferença da vida deles lá fora”, afirmou.

O diretor da unidade, D’Klin Cardoso destacou o trabalho realizado pelos policiais penais no Presab na promoção dos programas que já estão em andamento. “Temos uma equipe muito comprometida com a ressocialização dos internos e estamos cada vez mais engajados com os projetos que desenvolvemos aqui”, enfatizou o diretor.

Em todas as unidades prisionais de Sergipe a Sejuc desenvolve projetos de ressocialização que, muitas vezes, implicam na remição de pena dos (as) internos (as). Eles estão distribuídos em cursos profissionalizantes em diversas áreas como marcenaria, elétrica, padaria, os educacionais, remição pela leitura e os culturais com a produção de artesanato, costura, pintura e grafite.

[/kc_column_text][kc_image_gallery columns=”4″ image_size=”full” alt_text=”__empty__” _id=”780328″ images=”8274,8273″ type=”grid” click_action=”none”][/kc_column][/kc_row]

Última atualização: 7 de julho de 2023 13:23.

Pular para o conteúdo