Representantes do NURES e unidades prisionais discutem Plano Estadual de Atenção à Tuberculose com municípios

A reunião definiu novos protocolos e calendário de realização de testes nas unidades prisionais

Na manhã desta sexta-feira, 31, foi realizada uma reunião intersetorial com o Núcleo de Reinserção Social (NURES) da Secretaria de Justiça e de Defesa do Consumidor (SEJUC), as secretarias de Saúde dos municípios que tem unidades prisionais em Sergipe, a Secretaria Estadual de Saúde, as coordenações de Saúde das unidades prisionais e o Lacen Sergipe para discutir o Plano Estadual de Atenção a Tuberculose no Sistema Prisional.

O plano tem como objetivo identificar os casos de tuberculose de forma mais rápida dentro das unidades, para que o tratamento seja feito de forma efetiva e, em caso de mudança de regime antes do fim do tratamento, o interno continue recebendo o tratamento e acompanhamento na Unidade Básica de Saúde mais próxima.

Durante a reunião, a referência técnica do Programa Estadual de Controla de Tuberculose, Heide Ribeiro, esclareceu que o trabalho será feito em parceria entre as coordenadorias de Saúde das unidades e as secretarias municipais de Saúde. Sendo as unidades prisionais responsáveis pela coleta do material para análise dos internos que apresentam sintomas. Enquanto que as secretarias municipais deverão fornecer os materiais para as coletas e um profissional para acompanhar e realizar a requisição através do Sistema Gal, e entregar as amostras ao Lacen. A única exceção são as amostras do Copemcan, localizado em São Cristóvão, onde o próprio laboratório do município fará a análise das amostras.

“O rastreio dos casos de tuberculose é importante para que nós possamos identificá-los o quanto antes na população privada de liberdade, porque é um ambiente fechado, o que favorece a propagação. Quanto mais cedo nós diagnosticarmos esses casos, menor será o risco de transmissão. Lembrando que o tratamento é fornecido pelo Sistema Único de Saúde [SUS], mas que precisa de acompanhamento. O Lacen libera em até 48 horas o resultado das amostras dos pacientes que apresentam sintomas. Nós devolvemos o equipamento para o município de São Cristóvão e, por isso, o município terá autonomia para realizar os testes em toda a população do município, inclusive a da unidade prisional!, comentou o coordenador do Lacen, Cliomar Alves.

O Plano Estadual de Atenção a Tuberculose no Sistema Prisional sergipano segue as diretrizes do protocolo nacional, que orienta que seja feita a testagem rápida nos internos de todas as unidades prisionais que tenham algum tipo de sintoma da doença uma vez por ano. Por isso, durante a reunião, ficou estabelecido o calendário para que as unidades de saúde realizem as testagens entre os dias 10 de abril e 29 de junho.

“Essa ação já vinha sendo discutida pela Secretaria de Justiça, antes mesmo da solicitação feita pelo Ministério Público do Estado, principalmente por se tratar de uma ação com muitos atores envolvidos. Estamos felizes que saímos dessa reunião com o calendário definido para a realização desta ação tão importante de rastreamento em massa da tuberculose no nosso sistema prisional”, comemora o responsável técnico para tuberculose no sistema prisional da Sejuc, Márcio Pequeno.

A ação nos municípios de Aracaju, Estância, Nossa Senhora do Socorro, Areia Branca, Tobias Barreto, São Cristóvão e Nossa Senhora da Glória não tem nenhum custo adicional para a SEJUC ou para as secretarias municipais, uma vez que os internos são considerados pelo IBGE como moradores do município, o que influencia no repasse do orçamento para a saúde básica, que leva em consideração a população do município.

Última atualização: 31 de março de 2023 13:37.

Pular para o conteúdo