Mães e servidoras da Sejuc: Elas contam um pouco da missão de ser heroína dos filhos e da sociedade

Elas estão sempre a postos para desenvolver com êxito ambas as missões

Como expressar em palavras os sentimentos de uma mãe por um filho e vice-versa? Amor, carinho, atenção, afeto, acolhimento, um porto seguro em meio às tempestades diante de um mar revolto e cheio de dificuldades que é a vida. São inúmeras expressões e frases que tentam descrever o que só é possível entender sentindo. Neste domingo, 10 de maio, é o Dia das Mães. A Secretaria de Justiça e Defesa do Consumidor (Sejuc) conta um pouco do sentimento delas como mães e parabeniza a todas por desempenharem tão bem a missão de ser heroína dos filhos e da sociedade.

A policial penal Eliane Pereira de Santana, lotada na Cadeia Pública de Areia Branca, nos revelou o quanto é complexa essa missão, mas que traz orgulho e satisfação diariamente. Ela tem três filhos, de 8, 7 e 23 anos de idade. “É bem verdade que é muito difícil. Mas temos jogo de cintura, e nossos filhos entendem que é nossa profissão. Eles, muitas vezes, fazem parte também, são guerreirinhos. Eles conhecem, sabem quando você não pode dormir em casa, que você vai trabalhar. Já sabem os dias dos plantões”, narrou.

Ela também nos contou um pouco da evolução e do crescimento dos filhos. “Uma que, quando entrei no sistema tinha dez anos de idade, hoje já é advogada. E graças a Deus, ela sempre entendeu a minha rotina, sempre estudou. Um dos meus filhos é especial, é autista de nível leve. É um menino espetacular, que se desenvolveu e continua se desenvolvendo. Todos eles eu criei na luta, na garra. Eles são desbravadores. São aventureiros. Eu cuido da parte física, mental e espiritual dos meus filhos. E diante disso, também vou à luta em busca do pão de cada dia”, complementou.

A policial penal e vice-diretora do Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico (HCTP), Maria Ednolia de Souza, também nos disse como conciliou as missões de ser mãe e servidora da Sejuc. No HCTP, ela supervisiona os serviços da instituição, planeja e organiza o andamento dos atendimentos na unidade. Além disso, ela acompanha as deliberações da secretaria, decisões judiciais e conversa com os internos.

“Sou mãe de dois filhos adultos. Nunca tive problemas em exercer as funções de mãe e de policial penal, sempre desenvolvi as duas funções muito bem. Sempre dei atenção aos meus filhos no que foi necessário, em relação aos estudos, em relação à vida pessoal, sempre me dediquei a eles. Qualquer necessidade que eles tenham, eu estou sempre presente em qualquer momento que seja necessário. A prioridade é sempre eles. Educo, cuido de casa, sou mãe e sou dona de casa”, mencionou.

Ela concluiu destacando um pouco mais dos cuidados maternos. “Sempre deixo almoço pronto, tudo organizado antes de sair, tudo para que eles não sintam falta de nada em relação a essas coisas, para que a prioridade seja o estudo. Eu sempre me preocupei muito com isso. Nos momentos que eles precisarem, eu estarei sempre presente, sempre, sempre. Qualquer coisa que eles necessitam eles sempre procuram a mamãe. E mamãe sempre estará ao lado deles. Um feliz Dia das Mães para todas e que Deus nos abençoe nesse momento tão difícil que estamos passando. Um beijo para todas as mães”, relembrou.

Última atualização: 10 de maio de 2020 08:09.

Pular para o conteúdo