GTA treina policiais penais para operações conjuntas com aeronaves do grupamento no sistema prisional de SE

As instruções foram realizadas na manhã desta terça-feira, 15, na Escola de Gestão Penitenciária

Policiais penais participaram de um treinamento com o Grupamento Tático Aéreo (GTA). O objetivo da ação foi o de fornecer as instruções sobre os procedimentos necessários para a utilização das aeronaves do grupamento em operações nas unidades prisionais de Sergipe. A iniciativa ocorreu na Escola de Gestão Penitenciária (Egesp), durante a manhã desta terça-feira, 15.

O comandante do GTA, coronel Fernando Góes, explicou que as instruções são de extrema importância, pois tornam os policiais penais aptos nas comunicações entre as equipes que estão em solo e as que estão em operação nas aeronaves. Assim, a conclusão dos trabalhos, em uma operação desencadeada em presídios, ocorrerá de forma mais célere e segura para todos os envolvidos nas ações.

“O acionamento do GTA para essas ocorrências normalmente acontece. Diante dessa possibilidade, precisamos ter uma integração entre o efetivo que atua nos presídios e o que está empregado na aeronave, para que essa integração potencialize o resultado final do trabalho do helicóptero, bem como o do pessoal que está em solo, que precisa que a unidade prisional volte à rotina normal”, destacou.

O coronel Fernando Góes reiterou o propósito das instruções ministradas nesta terça-feira, 15, para uma melhor conclusão de ações que, porventura, venham a ser necessárias no âmbito do sistema prisional sergipano. “O objetivo é de familiarizar os profissionais com a ferramenta e os riscos que a atividade aérea pode provocar. Com o treinamento eliminamos esses riscos, para que ao final da operação todos estejam seguros”, ressaltou.

Os treinamentos também contemplam a parte prática, conforme salientou o coronel. “A parte prática se refere à atuação dos agentes penitenciários e é exatamente sobre o conhecimento de como se aproximar de uma aeronave quando ela está acionada. É preciso ter esse conhecimento, de como se aproximar, se afastar e como proceder a bordo da aeronave, caso seja preciso o embarque, assim como orientar sobre um possível local de pouso”, complementou.

O diretor da Egesp, Delmario Magalhães, reiterou que as instruções possibilitam o rápido deslocamento em situações de emergências nos presídios do estado. “Estamos com a presença do GTA desenvolvendo uma habilitação com servidores da Sejuc, para que, em situações de emergência, possamos utilizar esses servidores sendo deslocados de forma rápida, segura, para as unidades prisionais. Em caso de alguma necessidade, havendo um motim ou rebelião, estamos alinhando com o GTA a possibilidade de usar aeronave e deslocar negociador, grupo de intervenção para que chegue a esses locais o mais rápido possível. É uma grande ferramenta, que conseguiremos atingir o nosso objetivo com mais eficiência”, sinalizou.

A policial penal Anny karolyne foi uma das agentes presentes no treinamento e reforçou a importância das instruções passadas pelo GTA. “É de extrema importância todo o mecanismo para preparar os servidores. Esse conhecimento utilizaremos em momentos de crise, e temos que eliminar os erros. Qualquer mecanismo, que nos dê essa possibilidade de sermos mais céleres nas resoluções de conflitos, é de extrema importância”, pontuou.

Última atualização: 16 de setembro de 2020 08:06.

Pular para o conteúdo